Publicado em

A nutrição no futebol infantil

A importância da nutrição no desempenho de atletas em diferentes práticas esportivas, incluindo o futebol, é incontestável. Entretanto, o papel da nutrição no futebol infantil não é tão valorizada quanto deveria, visto que é de suma importância para o bom desenvolvimento e desempenho das crianças. Uma nutrição correta na infância contribui essencialmente para as fases futuras, não só dentro do esporte, mas para uma boa qualidade de vida.

Por que incentivar a nutrição no futebol infantil?

Crianças e jovens geralmente tendem a se importar menos com a qualidade da sua alimentação, assim como o impacto e as consequências que a dieta tem no seu cotidiano. O metabolismo de crianças é mais intenso que o de adultos e, com isso, o gasto energético, principalmente para jovens atletas, é muito grande. Dessa forma, no futebol infantil é necessária uma nutrição de qualidade, contendo a quantidade de nutrientes suficientes para satisfazer todas as necessidades do organismo.

Além disso, a carência de nutrientes pode acarretar inúmeros problemas no desenvolvimento físico e até mental dos jovens, incluindo maior suscetibilidade às patologias, baixa estatura, que pode atrapalhar muito na realização da prática futebolística e acarretar perda de performance.

Composição de uma boa dieta para atletas infantis

Para satisfazer a demanda energética do organismo, a composição da dieta de um jovem jogador de futebol deve conter um balanço de macro e micronutrientes, acompanhado de uma hidratação adequada.

Hidratação

A perda de água através do suor é o meio mais efetivo do corpo em liberar calor produzido pelo organismo. Em atividades físicas intensas como o futebol, nosso corpo perde muito líquido pelo suor, sendo necessário a hidratação antes, durante e depois da atividade, a fim de repor a quantidade de água perdida. Ainda nesse sentido, crianças tendem a produzir mais calor por unidade de peso, quando comparado ao adulto. Portanto, julga-se indispensável uma boa hidratação dos jovens atletas, inclusive durante as atividades, como o treino nas escolinhas.

Macronutrientes

A fonte de energia para o atleta são os macronutrientes, sendo, basicamente, divididos entre carboidratos, proteínas e lipídeos.

Os carboidratos devem ser abundantes na dieta para atletas de futebol infantil, sendo esses o principal fornecedor de energia para uma atividade esportiva. Atletas mirins possuem menos reservas de glicogênio que adultos e, com isso, a ingestão de carboidratos deve ser correta e abundante. Em outras palavras, caso não for feita uma ingestão de qualidade de carboidratos antes de uma atividade física com alta demanda energética, os estoques de glicogênio ficarão vazios, acarretando sucessiva perda de desempenho.

Em relação a proteínas, crianças atletas devem possuir um balanço positivo de proteína no organismo. Esse aporte proteico em crianças deve ser maior que para adultos. Isso porque, além da quantidade necessária para recuperação muscular pós-atividade física, seja treino ou jogo, também é necessária uma quantidade direcionada para o desenvolvimento normal do corpo, que ainda está em formação. Deficiência de proteínas para atletas de futebol infantil pode acarretar problemas na estatura e peso corporal.

Em relação aos lipídeos, seu consumo é importante para atividades físicas de longa duração, sendo importante manter um consumo adequado de fontes boas desse macronutriente.

Micronutrientes

O bom desenvolvimento infantil está completamente ligado a ingestão correta de inúmeros micronutrientes, tais como zinco, cálcio, ferro, sódio, potássio e vitaminas. Para crianças praticantes de futebol, é necessário a manutenção de uma dieta balanceada de micronutrientes, principalmente os citados acima. 

  • O cálcio está ligado a manutenção e crescimento dos ossos. Desse modo, a deficiência em cálcio é perigosa para atletas infantis, em que aumenta o risco de lesões ósseas na atividade física.
  • O ferro se associa ao transporte de oxigênio nas células sanguíneas por todo o corpo, incluindo para os músculos. Assim, mostra-se a importância do ferro na alimentação de atletas infantis, que necessitam de um transporte eficiente de oxigênio efetivo durante a atividade física. Sua deficiência acarreta perda de desempenho do atleta mirim.
  • Já o zinco relaciona-se com a defesa imunológica do organismo e síntese proteica, em que sua deficiência pode ocasionar problemas no sistema imunológico da criança.
  • Sódio e potássio são dois minerais de extrema importância para o organismo. O primeiro é importante para a manutenção do equilíbrio hídrico normal do corpo. Já o segundo ajuda a manter o funcionamento normal de células, músculos e nervos. Ambos podem ser perdidos no suor, resultando em queda de desempenho pelo atleta.

Atenção na dieta de crianças

É importante ressaltar que, nessa fase, a nutrição no futebol infantil não deve exigir nenhuma meta do atleta ou realizar qualquer tipo de restrição alimentar. Mas deve, sim, ofertar a maior variedade de alimentos possível ao jogador, de modo a formar seu paladar e moldar bons hábitos alimentares. Além disso, a nutrição infantil deve explicar sobre a importância de pratos coloridos e equilibrados nutricionalmente, visando um desenvolvimento saudável.

Contatos do autor:
Instagram: @otaviohenriquenut
WhatsApp: (22) 997179497
E-mail: otavioh12@live.com