Publicado em

O Fundamento passe na iniciação do Futsal

É natural que os professores de base sintam insegurança ao trabalhar esta habilidade do passe no futsal ainda na infância. Primordialmente, o professor precisa entender que esta fase é crucial para que a criança desenvolva sua motricidade globalmente, através de diferentes variedades de movimentos. Essa aprendizagem e experiências se dão a partir da ludicidade, de jogos, brincadeiras e, inclusive, ginástica.

Além do desenvolvimento motor, a compreensão das ações de jogo deve ser incentivada desde a tenra idade. E esta compreensão pode se dar por meio do fundamento passe. Mas como a abordagem deste, pode agregar conhecimento na iniciação?

O fundamento passe e seus princípios táticos na iniciação do futsal

Além disso, compreende-se que na iniciação do futsal, a aprendizagem dos fundamentos técnicos acontece de maneira natural com incentivo de uma pedagogia criativa e diversificada.

No entanto, a partir dos seis anos, a metodologia já deve consistir em abordar a ocupação de espaço, compreensão de regras, cooperação entre o grupo, etc. Afinal, o desenvolvimento dos fundamentos é inerente a coordenação motora, por isso, o treino deve pautar-se na organização de movimentos corporais que atendam uma necessidade ou um objetivo. Sendo assim, é preciso trabalhar o básico do movimento para enriquecer o repertório motor.

Durante a execução do fundamento passe, o aluno precisa ter a visão do jogo para encontrar seu colega em um espaço vazio ou sem marcação, além de precisar identificar a distância para saber a “força” que necessita colocar na bola, executando o passe no momento certo. E como a criança compreende toda essa dinâmica?

Quais atividades promovem situações táticas na iniciação a partir do fundamento passe?  

É essencial que nesta fase o treino não seja apenas com cargas unilaterais (exclusivo de uma modalidade), mas que venha enriquecer o acervo da criança. Por isso a atividade a seguir, trabalhará passes com as mãos, por exemplo.

Brincadeira do “Meinho”

O “meinho”, é uma brincadeira simples que pode ser realizada em pequenos grupos (trios, quartetos), facilitando assim maior contato com a bola. Em um espaço delimitado por cones, divida os alunos, um deverá ficar no meio interceptando o passe dos outros colegas, assim que interceptar, troca de posição com o último que realizou o passe. Iniciaremos esta atividade com as mãos. Ainda nessa brincadeira, podemos variar tamanhos da bola (Vôlei, tênis, etc.), ou com a inclusão da contagem de passes, regras de passar e movimentar para outro espaço, ou trabalhar com os pés. Dessa forma, o momento cria situações importantes para o desenvolvimento do jogo e compreensão cognitiva do aluno (a), por exemplo:

  • Manipulação de objetos;
  • Percepção espacial;
  • Movimentação no espaço;
  • Criação de linhas de passe (ataque) e o encurtamento de espaço (defesa).

Brincadeira “não deixe ser gol”

Ainda assim, outra atividade interessante para compreender a distância do colega que fará a recepção é o “não deixe ser gol”. Em duplas, um de frente para o outro e com pequenas goleiras atrás de cada criança, elas realizarão passes entre si, porém o objetivo é que a bola passe pelo colega e entre no gol. Esta atividade pode incluir os fundamentos de finalização e recepção. O professor pode estipular várias distâncias entre os dois alunos, para que estes percebam a força que deve ser colocada ao passar/chutar dependendo da distância em que está com a bola.  Além disso, alguns princípios de ataque e defesa são identificados nesta situação.

Brincadeira dos bambolês

Por fim, uma última brincadeira é a livre com bambolês: organize um espaço e distribua um bambolê para cada. Deixe as crianças brincarem livres: jogar no alto, segurar com uma mão apenas, girar e segurar, lançar o bambolê a sua frente, lançar o objeto para o colega e realizar a troca entre eles. Use a criatividade em sua aula.

Mas você deve estar se perguntando de que forma brincar de bambolê auxilia no desenvolvimento do fundamento passe, então imagine quantas ações de domínio corporal e cognitivo a criança estará realizando no espaço e como há relação com o passe no futsal:

  • Capacidade de processamento de movimentos (girar, agarrar, lançar);
  • Ordenação e elaboração da informação (material, espaço, colega, movimento);
  • Adaptação a variedade na atividade, adquirindo o hábito de prever possibilidades ou situações futuras.

A importância da organização metodológica na iniciação do futsal

Em síntese, a criança precisa manipular objetos, correr para um espaço vazio, estender o braço, segurar objetos de diversos tamanhos, sentar, saltar, etc. Dessa forma, quanto mais experiências a criança adquirir, mais capacidade de responder às situações do jogo ela terá futuramente, seja gestual ou cognitiva.

Desse modo, o professor precisa adaptar e compreender as reais necessidades da infância, afinal, o trabalho terá resultados a longo prazo. Quando falamos nas atividades acima: de linhas de passe e encurtamento de espaço, lógico que não utilizaremos estes termos em nossas falas. Porém, a criança começa a desenvolver, pelos estímulos recebidos, a compreensão de que longe do adversário receberá a bola com maior facilidade.

O passe é o fundamento que remete uma das características principais do futsal, o dinamismo. E a sua execução depende de uma série de conteúdos táticos, tais como ritmo de execução; informação (colega marcado ou não); controle do espaço (ocupar espaços vazios). Toda essa construção vai se dando gradualmente, mas precisa ser possibilitado contextualizadamente e lúdica, aproximando-se do jogo coletivo.

Portanto, atividades que trabalhem o fundamento passe tanto com as mãos quanto com os pés, juntamente com aquelas que desenvolvam a percepção do espaço e dos colegas se faz necessária.  Aprender a passar é aprender a socializar em grupo as habilidades individuais.

Contato da autora:

Instagram: @Torettifaveri

Fontes e Referências

Escola da Bola. Um ABC Para Iniciantes nos Jogos Esportivos.

Corpo em movimento na Educação Infantil

A atividade pedagógica da Educação Física

Confira abaixo um episódio do Podcast sobre o assunto: