Publicado em

Como acontece a Tomada de Decisão no Futebol?

O futebol é um esporte extremamente dinâmico e rápido, o que exige que os jogadores tomem decisões em frações de segundo durante toda a partida. A tomada de decisão é uma habilidade fundamental para o sucesso no futebol, e os jogadores precisam ser capazes de avaliar as situações rapidamente, considerando uma variedade de fatores antes de decidir a melhor ação a ser tomada.

O que observar em campo?

O processo de tomada de decisão começa com a coleta de informações. Os jogadores de futebol precisam estar atentos às informações que recebem do campo, incluindo a posição dos jogadores adversários, a posição da bola, o tempo restante no jogo, o placar e a posição de seus próprios companheiros de equipe. Eles também precisam avaliar as condições do campo e a textura da superfície.

Assim, após coletar essas informações, os jogadores precisam analisá-las rapidamente para identificar a melhor opção. Eles precisam avaliar os riscos e benefícios de cada opção disponível, considerando a situação específica do jogo e a estratégia geral da equipe. Eles também precisam estar cientes de suas próprias habilidades e limitações, bem como as de seus companheiros de equipe.

No entanto, com base nessas informações, os jogadores precisam tomar uma decisão e agir rapidamente. Essa decisão pode ser tão simples quanto passar a bola para um companheiro de equipe ou tão complexa quanto decidir o ângulo exato e a força necessária para fazer um chute em direção ao gol. A velocidade de execução é fundamental, pois o tempo de reação dos jogadores adversários é limitado e pode mudar rapidamente.

O que acontece no cérebro do jogador ao tomar uma decisão?

Quando um jogador de futebol toma uma decisão durante uma partida, uma série de processos cognitivos ocorrem em seu cérebro.

Por exemplo, durante a percepção, o cérebro processa informações sensoriais provenientes do ambiente, como a posição dos jogadores adversários, a localização da bola e o tempo restante no jogo. A atenção é necessária para selecionar as informações mais relevantes e filtrar as informações irrelevantes. A memória é usada para lembrar padrões e experiências anteriores que podem ser úteis na tomada de decisão. O raciocínio é necessário para avaliar as opções disponíveis e prever as possíveis consequências de cada escolha. E, finalmente, a tomada de decisão é o processo de escolher a melhor opção com base nas informações disponíveis.

Dessa maneira, vários estudos têm sido realizados para investigar a neurociência da tomada de decisão em jogadores de futebol. Um estudo de 2010 publicado na revista NeuroImage utilizou a técnica de ressonância magnética funcional (fMRI) para examinar a atividade cerebral de jogadores profissionais de futebol enquanto eles assistiam a vídeos de jogadas. Os resultados mostraram que a região pré-frontal dorsolateral do cérebro, que é importante para o raciocínio e a tomada de decisão, estava mais ativa quando os jogadores avaliavam situações de jogo complexas.

Além disso, outro estudo publicado em 2017 no Journal of Sports Sciences usou um teste de tomada de decisão em um ambiente virtual para examinar como os jogadores profissionais de futebol processam informações visuais e tomam decisões rapidamente. Os resultados mostraram que os jogadores de futebol tiveram um desempenho melhor do que os jogadores amadores em termos de tempo de resposta e precisão.

Portanto, esses estudos mostram que a tomada de decisão em jogadores de futebol é um processo complexo que envolve várias regiões do cérebro e vários processos cognitivos. A percepção, a atenção, a memória, o raciocínio e a tomada de decisão trabalham juntos para permitir que os jogadores avaliem rapidamente as opções disponíveis e escolham a melhor estratégia para a situação. Essas descobertas são úteis para treinadores de futebol e jogadores que desejam aprimorar suas habilidades de tomada de decisão em campo.

O que dizem estudos sobre a tomada de decisão no futebol?

A tomada de decisão é uma habilidade essencial para o desempenho dos jogadores de futebol. Vários estudos têm explorado os processos cognitivos envolvidos na tomada de decisão em futebol. Por exemplo, um estudo de pesquisadores dos Estados Unidos, analisou a tomada de decisão em jogadores profissionais de futebol e constatou que ela depende de fatores como a capacidade de processar e interpretar informações visuais e auditivas em tempo real, além da percepção da localização dos outros jogadores e da bola em relação a si mesmos e ao campo.

Além disso, outro estudo ainda na década de 90 sugeriu que a antecipação é um processo importante na tomada de decisão em futebol. Os jogadores precisam estar cientes da localização dos outros jogadores e da bola em relação a si mesmos e ao campo para poder antecipar as ações dos adversários e dos companheiros de equipe.

A experiência também é um fator importante na tomada de decisão em futebol. Por exemplo, um estudo do pesquisador Abernethy e sua equipe mostrou que jogadores com mais experiência tendem a tomar decisões mais rápidas e precisas em situações de jogo.

O contexto em que a tomada de decisão ocorre é importante, pois pode afetar a percepção e a antecipação do jogador. A comunidade científica concorda que a tomada de decisão em situações de jogo que em jogadores de futebol jovens a qualidade da decisão é influenciada pelo nível de dificuldade do jogo e pela habilidade do jogador.

Portanto, os estudos também indicam que a tomada de decisão em futebol pode ser influenciada por fatores como idade, nível de habilidade, tática da equipe e posição do jogador. Desse modo, jogadores mais experientes e com melhor desempenho em testes de cognição visual tendem a tomar decisões melhores em campo.

Decisões em diferentes cenários do jogo

Durante uma partida de futebol, há uma série de cenários diferentes que os jogadores precisam avaliar para tomar a melhor decisão. Alguns desses cenários incluem:

  1. Contra-ataque: Quando a equipe recupera a posse da bola e começa a avançar rapidamente em direção ao gol adversário, é importante que os jogadores avaliem rapidamente as opções disponíveis para continuar o ataque. Eles podem optar por passar a bola para um companheiro de equipe ou fazer uma jogada individual, dependendo da situação.
  2. Bola parada: Quando há uma falta, um escanteio ou um pênalti, os jogadores precisam avaliar as melhores opções para aproveitar ao máximo a oportunidade. Isso pode envolver a escolha de um jogador para fazer o chute, decidir se é melhor chutar diretamente ao gol ou fazer uma jogada ensaiada.
  3. Defesa: Quando a equipe está defendendo, os jogadores precisam avaliar rapidamente a posição dos jogadores adversários e a localização da bola para decidir como melhor fechar os espaços e impedir a progressão do ataque adversário.
  4. Posse de bola: Quando a equipe está com a posse de bola, os jogadores precisam avaliar a melhor opção para manter a posse, avançar em direção ao gol adversário ou criar uma oportunidade de gol. Isso pode envolver a escolha de um passe preciso, fazer uma jogada individual ou chutar ao gol.

O que esperar do futuro de treinamento e melhoria da tomada de decisão no futebol?

A tomada de decisão é uma habilidade essencial no futebol, e é natural que técnicos, jogadores e pesquisadores busquem formas de treinar e aprimorar essa habilidade. No futuro, podemos esperar avanços significativos na tecnologia que permitirá a análise e treinamento da tomada de decisão em futebol.

Desse modo, uma das tendências atuais na área é a utilização de tecnologias de análise de dados para coletar informações sobre as ações dos jogadores em campo. Essas tecnologias podem ajudar a identificar padrões no comportamento dos jogadores e permitir que técnicos e jogadores desenvolvam estratégias para melhorar a tomada de decisão.

Outra tendência é o uso de tecnologias de realidade virtual (RV) e realidade aumentada (RA) para simular situações de jogo e permitir que os jogadores experimentem e pratiquem a tomada de decisão em um ambiente seguro e controlado. Isso pode ajudar a aprimorar a habilidade dos jogadores de processar e interpretar informações visuais e auditivas em tempo real e a antecipar as ações dos adversários e dos companheiros de equipe.

Além disso, os avanços em neurociência e inteligência artificial também podem ter um papel importante no treinamento da tomada de decisão em futebol. Estudos recentes têm explorado as bases neurais da tomada de decisão em situações de jogo e podem ajudar a desenvolver novas abordagens para treinar e aprimorar essa habilidade.

No entanto, é importante lembrar que a tomada de decisão em futebol é uma habilidade complexa que depende de vários fatores cognitivos, perceptuais e contextuais. Embora a tecnologia possa ajudar a aprimorar a habilidade dos jogadores, ela não pode substituir completamente a experiência e a prática no campo.

Em resumo, no futuro, podemos esperar avanços significativos na tecnologia que permitirá a análise e treinamento da tomada de decisão em futebol. No entanto, é importante lembrar que a tecnologia é apenas uma ferramenta e que a prática no campo e a experiência ainda são fundamentais para aprimorar essa habilidade.

Confira abaixo um episódio do Podcast sobre o assunto: