Publicado em

Afinal, o que é Jogo de Posição?

No futebol, a moda é ditada pelos treinadores vencedores, e atualmente, muito se fala em “Juego de Ubicación”, ou melhor, “Jogo de Posição”. São inúmeras lives, conversas, e até aulas abrangendo informações acerca do futebol das equipes de Guardiola. No entanto, o Jogo de Posição não é uma novidade, ele já existia em 1954, e desde então, vem sofrendo algumas mudanças.

Mas calma! Para você que nunca ouviu este termo, não se assuste. Deixe-me falar um pouco sobre esta cultura de jogo.

Por exemplo, Johan Cruyff, Louis Van Gaal e Pep Guardiola são apenas alguns dos técnicos que fizeram história com este conjunto de ideias. Porém, para compreendê-las é necessário estarmos atentos a alguns conceitos que serão explicados ao longo do texto.

O Jogo de Posição ressalta a relação entre os jogadores da mesma equipe (cooperação) e jogadores da equipe adversária (oposição). Sendo expressa por quem ocupa a largura (amplitude) e o comprimento (profundidade) do campo, a fim de criar diferentes superioridades no jogo.

Assim sendo, partindo dessa premissa, a todo momento deve ter um jogador que cubra cada posição, como Marti Perarnau colocou no livro Guardiola Confidencial. Mas lembre-se, os atletas não são estáticos, como uma mesa de pebolim. Eles podem se mover, desde que atuem com responsabilidade.

Espaços que os jogadores podem influenciar

Acima de tudo, sabemos que nos esportes coletivos, há interações de curto prazo o tempo todo, especialmente no futebol. Por isso, os jogadores são orientados a estarem entrosados durante a partida, sendo divididos em quatro espaços modificados conforme a localização da bola no campo, vejamos:

1 – Espaços de Fase: Onde o jogo pode acontecer;

Fonte: criado pelo autor

2- Espaço de Intervenção: Portador e Opositor;

Fonte: criado pelo autor

3 – Espaço de Ajuda Mútua: Jogadores próximos à intervenção

Fonte: criado pelo autor

4 – Espaço de Cooperação: Todo o espaço que resta do espaço efetivo de jogo.

Fonte: criado pelo autor

Na mesma linha, vamos entender agora sobre os princípios do jogo de posição.

Princípios do Jogo de Posição

  • Gestão de Espaço/Tempo: O jogador com a bola em um destes espaços, deve utilizar o tempo em benefício próprio ou do companheiro. Então pergunto-lhe, qual é o momento certo de agir? Com que velocidade a ação deve ser executada? As respostas destas questões devem favorecer você ou o seu colega.
  • Encontrar ou se reconhecer como Homem Livre: Neste, destaco as dinâmicas de atrair/fixar o oponente para libertar um de seus companheiros. Por exemplo, o jogo é onze contra onze. Portanto, se você consegue chamar a atenção de dois adversários, alguém ficará livre para receber a bola. Um dos caminhos para encontrar o homem livre é através do conceito de 3º homem.
Fonte: criado pelo autor
Fonte: criado pelo autor
  • Olhar para a profundidade: Com a bola, Cruyff pedia para Guardiola procurar Romário, por vezes do outro lado do campo, e frequentemente a frente dele. Quando os companheiros o encontravam, Romário levava vantagem no 1×1, o que proporcionava grandes chances ao time.
  • Criação de diferentes superioridades: Como você leu aqui no blog, durante o jogo pode-se gerar diversas vantagens, e são nessas ocasiões que o lance de perigo surge.
  • Viajar Juntos: Os titulares necessitam atuar como uma unidade para dificultar o contra-ataque adversário. Isto é, estarem compactados, pois quando perderem a bola, o intuito é recuperá-la rapidamente (Pressão Pós Perda). Ou seja, esteja ciente que, durante o processo de ataque, é preciso promover futuras condições defensivas e vice-versa.

O jogo de posição e a posse de bola

“Existe apenas uma bola, e você deve tê-la” – Johan Cruyff

A manutenção da posse de bola é muito importante no Jogo de Posição. Desse modo, trata-se de uma ferramenta para tentar alterar a estrutura da equipe adversária, e consequentemente, gerar espaços prestes a explorá-los.

Neste sentido, uma pesquisa fez a análise do impacto da posse de bola com 70 campeões de 35 ligas em duas temporadas. O percentual médio de posse de bola dos vencedores foi de 57%. A Ligue 2 (francesa) foi o único torneio entre as 35 ligas em que os campeões tiveram em média um percentual de posse de bola inferior a 50%.

Para além disso, o clube de Pep Guardiola – Manchester City – se destaca entre os campeões com maior percentual de posse de bola. Coincidência?

Considerando esses aspectos, os dados fornecidos pela InStat oferecem diversas oportunidades para interpretações. Uma delas, mostra que as equipes ambiciosas devem conseguir manter a posse de bola. No entanto, muitas vezes os atletas aceitam o domínio adversário, sobretudo quando estão ganhando. Em contrapartida, os estudiosos concluem que essa não é a melhor estratégia a longo prazo. Mas saiba que o futebol é imprevisível, e, às vezes, a equipe que tem o menor percentual de posse de bola é aquela que sai vitoriosa.

Então quer dizer que o Jogo de Posição é só passar a bola?

NÃO! Deve haver intencionalidade! Guardiola esclarece que odeia o “tiki-taka” – termo associado ao Barcelona devido a sua eficiente troca de passes – pois não existe propósito. É preciso passar a bola com uma intenção clara. Não é passar a bola só por passar.

Não há fórmulas para o sucesso

Dados os fatos, muita gente se confunde com o Jogo de Posição. Consequentemente o argumento utilizado traz a limitação da criatividade e da mobilidade dos jogadores. Até porque, deve haver o preenchimento dos atletas em todas as posições, não é?

Sim, mas trata-se de ocupar a posição, não importa quem irá ocupá-la. Logo, a troca de posições é constante, sempre existindo dinâmicas entre os jogadores. Seja com ou sem a posse de bola.

Em suma, praticar o Jogo de Posição não é sinônimo de vitória, tampouco a maneira correta ou errada para se chegar ao sucesso. É apenas uma cultura, perante a qual determinará a sua forma de jogar. Afinal, quaisquer ideias bem executadas aumentam a probabilidade do treinador vencer. Seja ele adepto ao Jogo de Posição, ou não.

Confira um episódio do Podcast Ciência da Bola que fala sobre o assunto:

Fontes e Referências:

Guardiola Confidencial – Marti Perarnau.

How importante is ball possession in football – Raffaelle Poli, Loic Ravenel, Roger Besso .

Periodização Tática: Explorando sua organização concepto-metodológica – Julian Bertasso Tobar.

Instagram: g_tadashi