Publicado em

Mercado de trabalho do analista de desempenho

A profissão analista de desempenho

O analista de desempenho é uma profissão relativamente nova nos esportes, principalmente no futebol. Ainda mais por ser algo tão recente, muitos mercados vêm se abrindo para essa nova área de atuação.

Atualmente as principais áreas de atuação dos analistas de desempenho são: trabalhos em clubes, mercado de atletas, formação de jogadores, geradores de conteúdos para TVs, rádios e mídias e profissionais que trabalham em big datas ou com softwares.

O que faz um analista de desempenho?

Ser analista de desempenho e trabalhar em clubes é o sonho de muitas pessoas. Em síntese, podemos citar como funções do analista:  planejamento de treinos (com o restante da comissão); registro dos eventos que acontecem em jogos e treinos do seu time e do adversário; e análise desses dados para repassá-los à comissão técnica e jogadores.

Dessa forma, visto os benefícios trazidos pelo analista de desempenho, os clubes investem cada vez mais nesse profissional. No entanto, o futebol acordou tarde para isso se compararmos a alguns outros esportes, como o basquete, futebol americano e beisebol (este último obteve mais visibilidade do público por causa do filme Moneyball: o homem que mudou o jogo).

Antes tarde do que nunca! Portanto, apesar da demora para essa nova forma de ver o futebol, hoje a análise de desempenho é de suma importância para qualquer equipe de alto rendimento que queira ter as melhores informações de seus jogadores, dos adversários e do mercado em geral.

Onde o analista de desempenho pode atuar?

1 – Mercado de atletas

A princípio, muitos analistas migram para outros campos de atuação e, um deles, é o mercado de atletas. Você também pode trabalhar por conta própria ou para empresas que recrutam jogadores. Portanto, em ambos casos é importante você ter um banco de dados com informações dos mais diversos atletas.

Imagine o seguinte: O time X quer contratar um zagueiro, porém não sabe quem. Eles te procuram e pedem jogadores daquela função que se encaixariam no time. Como proceder? Primeiramente você pode averiguar com o clube quais características que eles querem nesse atleta, exemplo: zagueiro canhoto, de no mínimo 1,88m, com bom jogo aérea defensivo e ofensivo e bom desarme. Após averiguar essas informações, você consulta seu banco de dados e verifica quais jogadores se enquadram nessas características. Vejam mais informações sobre isso no texto “importância dos dados para a análise de mercado”.

Nesse nicho de atuação também é imprescindível uma boa leitura de jogo e conceitos futebolísticos ao analista, visto que, quanto mais ele conhece de futebol, mais assertiva serão suas indicações de atletas.

2 – Na formação de atletas

Com certeza você já viu aquele atleta de 17, 18 ou 19 anos que é tido como uma promessa. Mas você sabe exatamente até onde ele pode chegar? Ele será tudo que imaginamos? Ele irá “vingar”? Talvez a análise de desempenho possa ajudar nessas perguntas.

Caso você tenha um atleta jovem, é interessante comparar seus dados com os de outros atletas. Desse modo você pode comparar os dados de um atleta que hoje tem 20 anos com os de diversos jogadores na mesma idade.

Poderá verificar os passes que o jogador dá, para qual direção os efetua, quais regiões do campo onde ele mais se movimenta, de qual local gosta de finalizar. Além das variáveis físicas como velocidade máxima, impulsão, força, entre outras tantas. Dessa forma haverá uma base de dados que pode prever até que ponto o jogador chegará no profissional.

Lembrando que não são só essas variáveis que definirão o atleta. O desempenho é formado por muito mais que o técnico, tático e físico. No entanto esses dados lhe darão um ótimo parâmetro se aquele atleta pode realmente suprir suas necessidades ou se é melhor investir em outro.

3 – Big datas e softwares

Primeiramente vamos diferenciar as duas coisas, pois muitas pessoas colocam tudo no mesmo cesto. Sites de BIG DATAS são grandes bancos de dados que armazenam informações de times e jogadores. Nele você encontra, por exemplo, quantos passes o time realiza por jogo, quais as redes de jogadores que mais se conectam, quantos sprints e qual a velocidade que atingiram os atletas, como são cobradas as bolas paradas dos times e quais os locais que a equipe mais finaliza. Podemos citar empresas como a InStat, Wyscout e  footstats.

Em contrapartida os softwares de análises são programas usados por analistas para esmiuçar os treinos e jogos. Neles você consegue editar o vídeo, fazer marcações de frequência e identificar padrões táticos das equipes. A maioria desses softwares são pagos, porém encontramos alguns gratuitos, como o longomatch, scoutub e GRAVOl.

Com o crescimento da análise de jogos essas empresas tendem a crescer e precisarem de mais mão de obra. E, obviamente, outras empresas virão, ou seja, deixará o mercado mais competitivo e com mais oportunidade de empreender.

4 – Geradores de conteúdo para a mídia

Uma nova geração de amantes do futebol está nascendo. Antigamente as pessoas gostavam de programas esportivos em que haviam debates aflorados, fofocas do meio futebolístico e afins. Mas parece que, cada vez mais, as pessoas buscam entender o jogo, conhecer os porquês das escalações, como os times jogam e as táticas por trás de cada equipe. E nesse contexto a análise de desempenho pode ser útil.

A cada dia que passa vemos mais a mídia querendo nos trazer scouts do jogo e, até em alguns momentos, fazendo aquelas análises táticas em painéis touch. Isso tudo para agradar ao seu espectador. Imagine que, para ter os dados ou fazer as análises, seja necessário alguém que entenda de software e de jogo. Portanto o analista pode se enquadrar nisto. Veja o exemplo do vídeo que Henry explica em uma emissora norte americana como o Barcelona de Guardiola jogava.

5 Analista pessoal

Muitos atletas de alto rendimento têm preparadores físicos particulares, fisioterapeutas e nutricionistas. Todos esses profissionais estão presentes no dia a dia do jogador para melhorar sua atuação em campo.

Do mesmo modo o analista de desempenho também terá lugar nesse meio. Visto que, toda informação que for agregada ao atleta, visando a sua melhora em campo, será útil. Apesar do analista do clube passar informações para o jogador sobre sua performance, é impossível transmitir esses feedbacks para todos os atletas de forma completa.

Certamente o analista pessoal do atleta e o do clube deverão ter uma boa comunicação. Assim ideias irão convergir ao mesmo objetivo. Afinal de contas os dois tem o mesmo objetivo: o melhor desempenho do atleta.

Todos esses mercados mencionados aqui já são de suma importância para o clube e atleta atingirem um bom desempenho. E cada vez mais serão essenciais, visto que surgirão novas tecnologias e novas técnicas de análise. Mas uma coisa sempre será essencial, o entendimento do jogo. Nada substitui esse conhecimento. P

Veja abaixo um episódio em nosso Podcast sobre o assunto:

Contato do autor : @Christopher_Suhre