Publicado em

Como são as consultorias individuais de Análise tática no Futebol?

O que é consultoria?

Atualmente há um crescimento no setor de análise técnico-tática no futebol que busca olhar cada vez mais para o próprio jogador. Isso ocorre devido a inviabilidade da maioria dos clubes em disponibilizar um profissional para ser responsável por cada um de seus atletas. E esta é a carência que as consultorias táticas individuais buscam explorar, fornecendo análises mais precisas e específicas aos seus clientes.

Durante as consultorias, o jogador é exposto aos seus comportamentos técnico-táticos apresentados na última partida e também às informações pormenorizadas da forma de jogar do próximo adversário. Essa análise acerca do próximo adversário é realizada em 3 diferentes escalas:

  • Coletiva, para que o jogador conheça como a equipe adversária se comporta de forma geral;
  • Grupal, para reconhecer os comportamentos dentro de sua zona de atuação;
  • Individual, com informações sobre seus principais enfrentamentos durante a partida.
Fonte: criado pelo autor

Dito isto, as consultorias buscam gerar reflexões no jogador, através do entendimento de suas ações realizadas de forma positiva, ou onde há a possibilidade de melhora. Essa busca por reflexão fica mais evidente pela abordagem realizada, ao partir do pressuposto que não há verdade absoluta em um esporte tão complexo como o futebol.

Quais abordagens usar na consultoria?

É importante destacar que há diferentes abordagens em uma intervenção na consultoria técnico-tática. Tanto devido à faixa-etária do jogador, como também aos minutos em que esteve em campo. Os jogadores que atuam menos, por exemplo, para além das análises próprias, são expostos a análises de jogadores referência na sua função. Enquanto que os jogadores mais novos recebem material de acordo com sua faixa-etária, sem deixar de lado onde encontram-se em seu desenvolvimento cognitivo.

Cabe destacar que um dos principais objetivos da consultoria é gerar a reflexão nos jogadores acerca de seus comportamentos em campo. Uma vez que a reflexão é considerada uma aprendizagem ativa e responsável por uma das formas mais eficientes de aprender, onde o nível de aprendizagem chega a 70%. Ou seja, muito mais eficaz do que as abordagens que partem de uma imposição de ideais, “únicas e verdadeiras”, sem fomentar a participação do próprio jogador.

As consultorias individuais têm relação com o modelo de jogo da equipe?

É fundamental deixar claro que as consultorias trabalham em conjunto com a comissão técnica. Seu objetivo está na melhora do indivíduo dentro do contexto ao qual está inserido.

Na sequência do texto abordaremos 2 pontos fundamentais para a análise técnico-tática individual: 1) o processo de tomada de decisão; e 2) a busca por otimizar os movimentos.

Afinal, como já mencionado em outros momentos, o futebol é um jogo de gestão de espaço, e por consequência tempo. Então nada mais óbvio que buscar melhor reconhecer esse espaço e como se colocar nele de forma a economizar tempo para obter vantagens sobre o adversário.

Assim, tanto a melhora na tomada de decisão, quanto a otimização dos movimentos, colaboram para que a ação seja realizada em menor tempo.

Como inserir a tomada de decisão na análise técnico-tática?

Na literatura sobre futebol, frequentemente é afirmado que durante os 90 minutos de um jogo, os jogadores que atuam no topo do alto rendimento, tomam cerca de 2.400 decisões. Isto significa que são aproximadamente uma decisão a cada 2,25 segundos. Com base nisso, fica evidente a necessidade de melhorar a capacidade dos jogadores em tomar decisões, não é mesmo?

Então, a partir de um dos modelos do processo de tomada de decisão, o modelo pendular do Prof. Dr. Pablo Juan Greco (imagem abaixo), notamos dois fatores fundamentais para o processo e que são pilares da consultoria: a percepção e o conhecimento tático declarativo.





Fonte: Adaptado de Greco, 2006.

Percepção

Em relação às formas de percepção, a visual assume grande importância, tendo em vista que são representativas na extração de informações do campo de jogo, e que sustentam a tomada de decisão. Portanto, a dimensão visual é fundamental para o rendimento dos jogadores para mapeamento do espaço, as chamadas “quebras de pescoço”, com intuito de retirar informações do ambiente de jogo que se encontram fora de seu campo visual.

Conhecimento declarativo

O conhecimento declarativo, por sua vez, segundo Júlio Garganta, se refere ao “saber o que fazer”, sendo quando, como o próprio nome diz, o jogador é capaz de declarar o conhecimento. Este tipo de conhecimento eleva a qualidade da tomada de decisão dos jogadores, aumentando assim a eficiência de suas decisões.

Logo, é por conta disso que a consultoria busca gerar reflexões no jogador. Este é o objetivo a ser atingido ao partir da não-existência de uma verdade absoluta, instigando o jogador a refletir sobre novas possibilidades de solução, a fim de desenvolver seu pensamento crítico e o conhecimento acerca do jogo. Isto é, desenvolver seu conhecimento tático declarativo.

Como a otimização dos movimentos contribui na análise individual?

Para além do processo de tomada de decisão, busca-se também otimizar os movimentos do jogador. Isto é, fazer com que o atleta realize menos movimentos para atingir seus objetivos, solucionando os vários problemas expostos pelo jogo mais rapidamente.

Dessa forma, vamos analisar 2 dos pontos que auxiliam a otimização dos movimentos: o centro de gravidade e a colocação dos apoios.

Centro de gravidade

A definição que a Prof. Dra. Adriana Marques Toigo traz para o centro de gravidade, em termos biomecânicos, é que ele representa um ponto matematicamente calculado ao redor do qual a massa do corpo está igualmente distribuída em todas as direções.

De forma mais simples e direta, quando um treinador diz para “abaixar o centro de gravidade”, se refere a flexionar os joelhos e inclinar o tronco levemente para frente. Aliás, você provavelmente já ouviu falar que algumas das qualidades do Lionel Messi são devidas ao seu baixo centro de gravidade, não é verdade? Então, em uma análise mais superficial, é possível dizer que sua agilidade para mudar de direção, e a capacidade de se manter em pé mesmo pressionado, são também potencializadas por seu baixo centro de gravidade, neste caso devido à baixa estatura (1,69m).

Portanto, a importância do centro de gravidade consiste em: quando mais baixo, tornar a ação ou reação do jogador mais rápida. Tendo em vista a maior agilidade conquistada ao aumentar o equilíbrio.

Apoios

Para os jogadores de futebol, os apoios são os seus pés, uma vez que os jogadores passam a maior parte do tempo em pé. Desse modo, em relação aos apoios, há vários pontos específicos aos objetivos da ação. Por exemplo, o distanciamento e a colocação dos apoios variam conforme o que se busca naquele momento. Assim, os apoios são específicos para cada situação, seja ofensiva ou defensiva, mas sem se esquecer do quão único é cada momento e da quantidade de formas diferentes para se solucionar cada situação-problema.

Enfim, as consultorias, como mencionado no início do texto, chegam para sanar uma carência. E, se tratando de um esporte em constante evolução, extremamente complexo e tão competitivo como o Futebol, com cada vez menos espaço-tempo para decidir e agir, devem em pouco tempo se estabelecer como uma norma no meio futebolístico.

Links e referências e páginas que fazem análise

Contato do Autor: @ralazzarottop

Confira abaixo um episódio do Podcast sobre o assunto: