Publicado em

Treinador de futsal e o mundo das quadras

Agilidade, técnica apurada e tomada de decisões assertivas em pequenos espaços são apenas algumas das características que diversos jogadores de futebol possuem, graças aos treinamentos no futsal. Mas e o treinador de futsal? Vamos entender mais sobre assunto.

O futsal ainda não é um esporte olímpico, mas que, com o tempo vem ganhando força no cenário mundial. E para ser um treinador de futsal? Como é a carreira de quem pretende seguir o mundo das quadras?

Comparado com o futebol de campo, o futsal contém menores infraestruturas, e números inferiores de público-alvo. Entretanto, é uma área que abrange inúmeros treinadores de alta competência, apresentando conhecimentos admiráveis. Afinal, para algumas pessoas, sem o ensino dos treinadores de futsal não existiriam tantos talentos brasileiros como há atualmente. Portanto, ninguém melhor para falar desse cargo, do que um especialista qualificado: o treinador de futsal Aleirton Cavalcante.

Trajetória do treinador de futsal Aleirton Cavalcante

Foto: (Pedro Paulo Diaz)

Natural de Mombaça-CE, em 2006, Aleirton se formou em Educação Física pela Universidade São Judas. Desde então, passou por inúmeros clubes como treinador e começou a colecionar títulos em sua carreira. Foi Campeão da Liga Paulista de Futsal, Copa Floripa (2x) e no Paulista de Beach Soccer (2x). Além de ter ficado no pódio disputando os jogos regionais pelo time da Prefeitura de Arujá (3x) e na Disney Cup nos Estados Unidos.

Sendo assim, adquiriu experiências e conhecimentos com renomados profissionais, tais como: Fernando Ferretti, André Bié (ambos no SC Corinthians) e Marquinhos Xavier (Seleção Brasileira), e passou em um processo seletivo no SC Corinthians Futsal. Ao passo que, na nova instituição iniciou diversos projetos para a valorização do esporte.

Por isso, nesta conversa, Aleirton apresentará informações essenciais para a carreira de um treinador de futsal. Bem como, as funções do cargo, a estruturação dos treinamentos no futsal, divulgará recomendações para os interessados na área e muito mais.

Formação do treinador de futsal

Foto: (Pedro Paulo Diaz)

1- Quais são as formações necessárias para tornar-se um treinador de futsal?

“Em termos de permissão para trabalhar, tem que ser formado em educação física e possuir o registro Conselho Regional de Educação Física. Mas existe um movimento muito grande para a inserção de licenças específicas para o futsal, assim como vem acontecendo com o futebol.”

2- Qual é a principal diferença nas formações dos treinadores de futsal no Brasil em relação a formação no exterior?

“Acredito que seja a organização. Deveria ser uma regulamentação vinda da FIFA e seguida pela Confederação Brasileira e Federações Estaduais. Dessa forma, possibilitaria a capacitação e atuação dos treinadores de futsal em um âmbito mundial. Assim como funciona nas licenças que possuem uma chancela da FIFA.”

3- Quais são as funções de um treinador de futsal?

“Organizar os conteúdos de treino e aplicá-los de maneira que tenha a participação efetiva de TODOS os seus atletas/alunos. Além de ter persuasão para que todos pensem no mesmo objetivo, ser motivador, defensor e apoiador da sua equipe. Saber lidar com a pressão interna e externa (controle emocional e psicológico apurado), transparecer segurança, tomar decisões rápidas e saber gerir pessoas.”

4 – Qual é o perfil do atleta que você almeja formar?

“Primeiramente, um cidadão de bem, cumpridor de regras e de leis, que esteja apto a conviver em sociedade. Consequentemente, formarei um atleta que respeita seus companheiros de equipe, seus adversários e seu treinador. Falando de características esportivas, pretendo formar atletas que saibam resolver problemas em um menor tempo possível, que sejam criativos e ousados, e que saibam fazer todas as funções em todas as posições, mesmo que momentaneamente.”

5- Qual é o papel do treinador em possíveis cobranças dos pais de garotos(as) em competições e treinamentos? Como lidar com o psicológico dos filhos posteriormente?

“O treinador de futsal deve orientar os pais e deixar claro que a função deles enquanto pais é apoiar e incentivar o filho e os colegas. Além disso, respeitar todas as pessoas que estão ao seu entorno, deixar o filho tranquilo para que ele possa tomar as próprias decisões. Após acontecer essas situações, nós devemos orientar e acalmar o garoto, mostrando o que ele deve fazer nessas situações.”

Treinamento no futsal

Foto: (Pedro Paulo Diaz)

6 – De modo geral, como você organiza os seus treinos de futsal?

“Para o sub-9, por exemplo, eu divido em aquecimento, parte principal e parte final. No aquecimento trabalho questões técnicas e/ou táticas individuais. Já na parte principal trabalho as táticas de grupo e coletivas. Por fim, o objetivo é o jogo propriamente dito com orientações e ajustes.”

7 – Visto que a Periodização Tática é muito discutida no futebol. Como este método é visto no futsal? Há treinadores de futsal que a aplicam?

“A periodização tática no futebol é um assunto muito amplo e complexo, ela foi criada por estudiosos para o alto rendimento do futebol especificamente. Porém, sempre há alguma coisa semelhante ou que se aproveita para o futsal de alto rendimento. Como por exemplo, progressão de carga e conteúdo de acordo com cada microciclo de treino. Enfim, são usadas ferramentas semelhantes com outras nomenclaturas. Existe a organização e periodização dos conteúdos técnicos, táticos e físicos, em macro, meso e microciclos, mas não tem a mesma essência. Podemos achar até organizações parecidas, mas muita gente não tem o entendimento da periodização tática, por ser muito complexa. Tanto para o treinamento no futsal, quanto para o futebol.”

Valorização do Futsal

8 – Quais são as maiores dificuldades que você vivencia no cotidiano dessa área?

“A valorização profissional, pois atualmente, o professor de Educação Física no Brasil é pouco valorizado em diversos aspectos. Com a desvalorização profissional, vem a desvalorização financeira, pois a maioria dos treinadores de futsal no Brasil não são remunerados da maneira que merecem. Além disso, o alto nível, principalmente nas categorias adultas, onde a remuneração é mais alta, é um espaço muito seleto e muito difícil de se alcançar. Portanto, quem trabalha na formação merece ser valorizado, tanto quanto quem trabalha no profissional.”

9 – Na sua visão, o futsal precisa evoluir em quais aspectos?

“Muito. No aumento da exigência e padronização na formação dos profissionais que pretendem trabalhar com futsal. Outro fator essencial são as questões organizacionais. Deveríamos ter uma singularidade e um regulamento de competições a ser seguido em cada categoria. Por fim, a gestão geral do futsal precisa evoluir. Hoje com a Confederação Brasileira de Futsal, as Federações de cada estado organizam da maneira que bem entendem, sem modelo a ser seguido. Resumindo não se tem um norte, é uma bagunça.”

10 – O futsal como esporte olímpico?

“Com todo o respeito as outras modalidades esportivas, mas tem muito esporte que não tem nem metade do apelo do futsal e já são olímpicos. Acredito que seja uma questão política e de interesses que o futsal ainda não se tornou olímpico.”

11- Você se inspira em outros treinadores de Futsal?

“Sim, em muitos. André Bié, Marquinhos Xavier, Fernando Ferretti, Wilton Santana, Felipe Sá, Léo Fausto, Célio, Carlinhos, Danielzinho, Glauber, tive o prazer de conviver com todos e aprendi e aprendo muito com cada um deles.”

12 – Quais dicas você daria para quem quer ser treinador de futsal? 

“Que estude muito, se prepare o máximo que puder, aproveite cada treino para evoluir e aplicar o conhecimento. Que seja persistente, sonhe muito, mas não fique só no sonho. Sempre trate bem a todos e seja honesto com as pessoas que estão ao seu redor.”


Contato do autor no Instagram: @g_tadashi

Veja abaixo um episódio em nosso Podcast sobre o assunto: