Publicado em

Avaliação psicológica da personalidade do jogador de futebol

A Psicologia aplicada ao futebol pode fornecer várias ferramentas para melhorar a relação entre atletas e comissão, bem como aumentar o rendimento esportivo. Uma delas é a avaliação psicológica, também chamada de psicodiagnóstico esportivo. Esse procedimento refere-se ao levantamento de aspectos particulares do atleta. Através dele é possível aproximar-se de características pessoais ou grupais que vão oferecer subsídios para intervenções ou tomadas de decisão futuras. Inclusive as características da personalidade do jogador de futebol.

Constantemente vemos discussões acerca da personalidade dos atletas, treinadores e demais personagens ligados ao futebol. É comum ouvir expressões como “Esse tem personalidade” ou “Esse tem personalidade forte”. Esses termos são geralmente utilizados na tentativa de explicar um comportamento inadequado de algum atleta. E o que é personalidade? Como isso influencia no futebol?

Definindo o que é personalidade

A princípio, a personalidade é definida como os conjuntos característicos de comportamentos, cognições e padrões emocionais que evoluem a partir de fatores biológicos e ambientais. Desse modo podemos perceber que trata-se de algo extremamente individual e único. Assim compreende-se que o a realização do trabalho com atletas possui características singulares. É necessário saber o que cada um necessita.

Dessa forma, a expressão da qual falei no início do texto (personalidade forte) geralmente se refere a pessoas que são bastante resilientes, se mantêm firmes diante das adversidades. E também refere-se a pessoas que costumam ter pouca sensibilidade e são mais “explosivas” em suas reações. Essa expressão está equivocada conforme o conceito de personalidade na Psicologia. Não se pode dizer que existe uma personalidade forte ou uma personalidade fraca. Portanto, o que pode ser afirmado é que algumas pessoas possuem determinadas características com maior prevalência do que outras.

A importância de entender personalidade do jogador de futebol

Estabelecendo as características da personalidade do atleta, bem como tomando conhecimento de informações das dimensões cognitiva, emocional, psicofisiológica e social, podemos ter recursos para planejar as intervenções. Um exemplo é a forma de se comunicar ou de cobrar algum atleta. Existem atletas que respondem melhor sob pressão, com forte cobrança e insistência. E também existem outros que podem responder melhor quando estão relaxados e confiantes. Porém, eles perdem o foco quando são cobrados com veemência. Há poucos dias o treinador Fernando Diniz esbravejou à beira do gramado com o atacante Luciano e o fato viralizou.

Existem, portanto, diferenças significativas na comunicação com os jogadores, que podem tornar mais ou menos efetiva essa troca de informação.

Como a avaliação psicológica pode ajudar no rendimento esportivo?

Assim como a questão da cobrança e da comunicação, a Avaliação Psicológica ajuda a detectar potencialidades e dificuldades relacionadas ao desempenho esportivo. As intervenções não servem só para corrigir possíveis problemas, mas também para potencializar virtudes. Portanto, compreendendo as necessidades de cada atleta, pode-se trabalhar individualmente suas necessidades com maior efetividade. Seja através do treinamento de habilidades psicológicas (THP) ou num encaminhamento para a psicologia clínica.

Em suma, a avaliação da personalidade no contexto esportivo serve de base para o planejamento de intervenções com os atletas. Nesse ponto é importante ressaltar que existem comportamentos mais ou menos adequados para um atleta de futebol, porém não se pode falar sobre ter uma personalidade boa ou ruim. As pessoas são diferentes e agem de maneiras completamente distintas. Umas podem cometer mais ou menos erros, dependendo de vários fatores, incluindo a personalidade. O que não se pode é pensar que existe um perfil correto para ser jogador de futebol e que temos que adequar os atletas a esse perfil psicológico. Se assim o fosse, muitos dos atletas que marcaram história no futebol, considerados “Bad Boys”, temperamentais, nervosos, calmos demais, etc., não teriam nos agraciado com os momentos mais épicos desse esporte.

Links de referência

Contato do autor: matheuspadilhaar@gmail.com
Instagram: @28padilha

Confira um episódio do Podcast Ciência da Bola que fala sobre o assunto: