Donos do Manchester United colocam clube a venda

A família Glazer – os americanos que são os proprietários do gigante inglês Manchester United – confirmou na semana passada que está aberta a propostas para a compra do clube. Em comunicado oficial, a diretoria do United disse que a família Glazer estava explorando financiamento externo para aumentar o crescimento – um movimento que poderia abrir caminho para uma possível aquisição.

“Como parte desse processo, o conselho considerará todas as alternativas estratégicas, incluindo novos investimentos no clube, uma venda ou outras transações envolvendo a empresa”, afirmou no anúncio.

O banco de investimentos americano Raine Group foi contratado para lidar com qualquer venda ou novo investimento. O Raine Group administrou a venda de outro time da Premier League, o Chelsea, para Todd Boehly e a Clearlake Capital no início deste ano, garantindo 2,5 bilhões de libras, além de uma promessa de investimento adicional de 1,75 bilhão de libras.

Torcida esperançosa com possível venda

Apesar de bons resultados sob o comando do técnico holandês Erik ten Hag, o clube ainda está longe de brigar novamente pelo título inglês – de acordo com sites como a Midnite, o United não está entre os favoritos à conquista da Premier League. Portanto, uma mudança radical no comando do clube é bem vista pela torcida, que há anos vive em litígio com a família Glazer.

A notícia dará otimismo aos torcedores do time, que há muito pressionam para derrubar a família americana, que também é dona do Tampa Bay Buccaneers da NFL. No entanto, ainda não há nenhuma garantia de que os Glazers abrirão mão do controle total do United.

Em meio a protestos de torcedores, o falecido empresário Malcolm Glazer comprou o United em 2005 por 790 milhões de libras. Os anos seguintes viram mais agitação, com os protestos ficando mais furiosos e piores recentemente. No ano passado, manifestações em Old Trafford, estádio do Manchester United, forçaram o adiamento de um jogo contra o Liverpool, maior rival do clube.

“A força do Manchester United reside na paixão e lealdade de nossa comunidade global de 1,1 bilhão de fãs e seguidores”, disseram os co-presidentes Avram Glazer e Joel Glazer no comunicado. “Enquanto buscamos continuar construindo a história de sucesso do clube, o conselho autorizou uma avaliação completa das alternativas estratégicas. Avaliaremos todas as opções para garantir o melhor atendimento aos nossos torcedores e que o Manchester United maximize as oportunidades de crescimento significativas disponíveis para o clube hoje e no futuro”.

A natureza da aquisição dos Glazers, que aumentou as dívidas do clube, bem como uma percepção de falta de investimento e os dividendos que os proprietários retiraram atraíram críticas dos torcedores do United.

Desde que Sir Alex Ferguson, técnico lendário do United que esteve à frente do clube por 26 anos, se aposentou em 2013, o time está em uma espiral descendente constante e foi forçado a assistir enquanto os rivais Manchester City e Liverpool dominavam o futebol inglês.

A atual diretoria disse que entre seus planos de crescimento está a potencial reconstrução de Old Trafford – algo que os torcedores pedem há muito tempo.

Possíveis compradores

Foto: Divulgação/Manchester United

O Raine Group provavelmente tomará a venda do Chelsea como referência para qualquer valor e almejará superar esse valor, visto que o United é uma das agremiações esportivas mais populares do mundo.

Apesar de ser um torcedor de longa data, Jim Ratcliffe, o bilionário proprietário da empresa petroquímica INEOS, abandonou no mês passado seu interesse anterior em comprar o United. Sua empresa já é a proprietária do clube francês Nice.

“Nossa posição se desenvolveu desde o verão e agora estamos concentrando nossos esforços no Nice e aumentando nossas ambições para que o clube se torne um clube de primeira linha na França para competir com o PSG”, disse a INEOS em comunicado recente. “Isso representaria um valor muito melhor para o nosso investimento do que comprar um dos clubes de primeira linha da Premier League”.

O Financial Times relata que potenciais compradores estão tentando entrar em contato com David Beckham, ídolo dos Red Devils, a fim de obter uma vantagem na guerra de lances pelo clube.

Beckham estaria disposto a negociar e estaria aberto a ouvir sugestões de potenciais investidores, afirma a publicação. O astro, porém, não pode arcar com um acordo tão grande sozinho. Com isso, o ex-jogador passaria a ser co-comprador em uma transação posterior. A presença de um ídolo durante as negociações pode aumentar a reputação do novo dono entre os torcedores. Beckham, inclusive, tem certa expertise na área porque, desde 2013, é dono do Inter Miami da Major League Soccer.

O valor de mercado do United é agora estimado pela tradicional revista Forbes em 3,8 bilhões de libras, mas fontes internas dizem à ESPN que os Glazers acreditam que podem receber lances acima dos 6 bilhões de libras. Segundo fontes próximas ao clube, o comunicado divulgado na semana passada foi intencionalmente impreciso para preservar a posição dos proprietários na negociação.