Publicado em

Jogador profissional de futebol e as faculdades americanas

Descubra como as universidades americanas podem ajudar nos sonhos de quem deseja ser um jogador de futebol profissional!

Qualquer jovem com uma paixão intensa pelo futebol e um desejo ardente de se tornar um jogador profissional terá que fazer sacrifícios para chegar ao topo. Dessa forma, isso pode significar abrir mão do tempo livre, ficar longe de casa ou ter uma vida social menos ativa.

Como se não bastassem esses desafios, os números mostram a extrema competitividade da área entre crianças que ingressam nas academias aos nove anos: menos de 2% chegam ao futebol profissional.

Então, para tentar driblar esses obstáculos em busca de seus sonhos, muitos jovens apostam em um caminho diferente até o mundo dos profissionais: através do ingresso em faculdades americanas.

Antes de mais nada, é fundamental que você entenda o que é necessário para se tornar um bom jogador de futebol. 

O que é preciso para se tornar um jogador de futebol profissional?

Os clubes e equipes têm demandas cada vez maiores e estão se tornando cada vez mais sofisticados nos processos de seleção usados para encontrar jogadores.

Embora as expectativas possam mudar dependendo do clube, alguns procuram mais do que talento natural. Isto é, eles podem esperar que os jogadores demonstrem compreensão da dedicação exigida para se tornar um atleta de futebol profissional.

Alguns dos principais pontos incluem:

Motivação para jogar

O sonho de jogar futebol profissionalmente em estádios lotados para ganhar a vida pode ser uma motivação suficiente. Assim, concentrar-se em ser o melhor, nunca perder o senso do porquê começou a jogar futebol, lembrar-se de continuar sorrindo e curtir o jogo são motivações úteis. Portanto, combinar responsabilidade com diversão é sempre essencial para permanecer motivado.

Confiança em sua habilidade no futebol

Se um jovem atleta quer se tornar um jogador de futebol profissional, é vital que ele confie em suas habilidades e tenha o desejo de sempre aprimorá-las. Por outro lado, caso eles não acreditem no que podem fazer, as chances do clube dispensá-los são grandes.

A autoconfiança nos jogadores de futebol vem de várias formas, desde a linguagem corporal e a comunicação até a preparação que garante que eles estarão prontos para qualquer situação.

Estilo de vida saudável e equilibrado

Para ser profissional é preciso ser mais que somente jogador de futebol: é necessário primeiro se tornar um atleta. Isso deriva do estilo de vida e influencia todos os hábitos comportamentais. Ou seja, uma alimentação saudável e equilibrada ajudará a manter o corpo em boa forma, o que se refletirá no desempenho em campo.

Consciência tática, conhecimento do jogo e desejo de aprender

O futebol não é jogado apenas em campo, mas também dentro da cabeça. Um jovem jogador que está ciente do seu papel nas várias formações pode ser um recurso valioso para o clube.

Os conhecimentos do jogo são relevantes para a progressão e podem ser trabalhados através de vídeos, replays de partidas ou estudando diferentes estilos de jogo e treinamentos.

No entanto, mesmo cumprindo todos esses requisitos ainda há empecilhos e dificuldades para iniciar a carreira. Como resultado, alguns brasileiros têm encontrado no exterior a tão sonhada oportunidade.

Estudar fora pode ser a solução

No mundo moderno, é perfeitamente possível para um jogador equilibrar uma carreira acadêmica de sucesso com sua paixão e ambição pelo futebol. Na verdade, para os jogadores mais focados e dedicados, o céu não é o limite. Com a atitude certa, um jovem pode realizar grandes feitos em mais de uma área.

Inclusive, essa é uma das maiores razões pelas quais jovens estão se matriculando em programas para estudar em universidades americanas. Isso porque, além de oferecer todo o suporte teórico, o futuro jogador tem acesso a um ambiente capaz de atender todas as necessidades citadas acima.

No futebol universitário os atletas podem apostar em duas carreiras. Os jogadores são estudantes-atletas: treinam uma parte do dia e são cobrados rigidamente pelo bom desempenho escolar. Assim, quem não tem boas notas, não entra no time. É preciso ter talento acima da média para ser selecionado e se preparar para os testes de proficiência em inglês (TOEFL e SAT).

Para facilitar o caminho, muitos jovens atletas recorrem a agências especializadas em intercâmbio esportivo e acadêmico. O pacote de serviços inclui palestras sobre o funcionamento das universidades americanas, treinos e amistosos para monitoramento das capacidades esportivas e aulas de inglês. A preparação pode levar de 8 a 14 meses.

O estudo pode melhorar seu jogo

Os estudos acadêmicos não devem ser vistos como um obstáculo à paixão de uma pessoa pelo futebol. Em vez disso, eles devem ser vistos como um benefício. O estímulo intelectual pode ser uma ajuda importante na construção da mentalidade de atleta.

O sucesso acadêmico muitas vezes pode complementar ou mesmo impulsionar o sucesso no campo de futebol.

Os jogadores que estudam aprenderão a permanecer disciplinados e focados, podendo achar mais fácil desenvolver a inteligência do jogo necessária para aplicar com eficácia diferentes técnicas e táticas no campo de futebol.

Um atleta bem treinado também pode achar mais fácil lidar com outros aspectos de ser um profissional, por exemplo, o relacionamento com clubes, treinadores, contadores, agentes e a mídia.

Além disso, ao conviver em um ambiente que oferece toda a infraestrutura necessária para estimular seu potencial, seu futuro profissional só tende a se beneficiar, dentro e fora do gramado.

Portanto, se você tem interesse em se tornar um jogador de futebol ou conhece alguém com esse sonho, considere incluir uma universidade americana na sua lista de possíveis opções.

Caso siga por esse caminho, comece a estudar com ainda mais foco, domine o inglês, deixe sempre os documentos em dia e, de preferência, com a tradução juramentada de cada um e pesquise bem as universidades e programas que recebem brasileiros interessados.